Os nossos dias-a-dias

Olá a todos,
a nossa actualização do blog, desde que voltámos tem sido, no mínimo vergonhosa!
Para compensar, hoje vou pôr duas mensagens, recheadas de texto e imagens a condizer.

O regresso tem sido agitado:
Projecto novo;
equipa quase toda nova e até.... - agarrem-se-
... CASA NOVA!!!!!!

É verdade, estamos agora num T2, "onde podemos viver os dois(...)" e garanto-vos que a sensação de dormir num quarto e comer numa sala é muito, muito boa.
A situação desbloqueou e fomos realojados, sempre dentro do bairro da cooperação, o que, é claro, representa uma grande segurança, por um lado, e um grande descanso em termos logísticos (água e luz) por outro.

Fizemos a saída de uma casa e entrada na outra num dia, sempre a despachar. Descobrimos uma coisa engraçada: a nossa campainha, soa ao piar de passarinhos, o que condiz muito bem comigo (ana).

Em relação ao projecto Djunta Mon já tivemos:
ateliers de apresentação em Canchungo e Bafatá, início de quase todas as actividades - a formação de professores começa hoje - incluindo as da equipa de Mansoa.

Em relação ao projecto Bambaram di Mindjer (educação de infância), já começaram as actividades e estamos em processo de contratação de pessoa (vejam oportunidades no site da FEC).

Já houve visita de financiadores (o IPAD este cá há 15 dias), muitas viagens, muitas reuniões, muitas horas em frente do computador e muito papel distribuído.

Aqui ficam algumas fotografias dos nossos dias-a-dias (está no plural de propósito).

A primeira é de 2005, mas mostra o exemplo de uma actividade com crianças de jardim de infância no CDE de Mansoa, foi tirada pela equipa FEC,
A 2ª é uma escola comunitária da região de Cacheu, sector de Bula, com que vamos trabalhar este ano. Assim ficam como uma ideia de como são.
À 3ª chamei olhares de futuro, é na mesma escola.
A 4ª e a 5ª mostram uma mulher grande, a Rita, e um homem grande da tabanca em que está a escola. A mulher grande fez um discurso muito incisivo sobre como comunidade/FEC/IPAD iriam trabalhar e apoiar-se. Foi preciso uma mulher para pôr os pontos nos is.
Esta quatro foram tiradas pela La Salete Coelho, Supervisora Regional da FEC em Cacheu
a 6ª tirei eu, no liceu de Canchungo, que se chama Ho Chi Min - para quem se lembra do Time's Up - foi um herói comunista vietnamita. Reparem no cartaz a dizer "Aqui só se fala português". Neste liceu os alunos, com o apoio de alguns professores, incluíram no regulamento interno da escola a obrigatoriedade de falar português, não só na sala, mas também no recreio. É um exemplo raro e uma iniciativa com grande relevância.
à 7ª, que também tirei chamei "Os Bosses", são da esquerda para a direita: o vice-presidente do IPAD, Manuel Jesus; o Director Regional de Educação de Cacheu; e o Coordenador de Programa da FEC na Guiné-Bissau, Simão Cardoso Leitão. Uma vénia por favor.

Stay tuned




1 comentário:

Catarina disse...

Fico contente pelas noticias já andava cá há algum tempo à procura de novidades.

Continuação de boa sorte aos dois.
Beijinhos